COLUNA DO RESIDENTE

Todos nós já nos deparamos com casos interessantes, raros, ou que tiveram um desfecho inesperado.

Aproveitando a oportunidade para uma possível publicação e motivados por nossos chefes, staffs e residentes mais velhos, nos dedicamos por dias a fio para descrever o caso e mandar para a revista mais interessante possível. Logo de cara, na escolha da revista, nos deparamos com várias que nem sequer aceitam relatos de caso. Após muito escolher e trabalhar para enviar o artigo, somos surpreendidos, às vezes meses depois, com uma rejeição, sem mesmo uma perspectiva de revisão para que isso seja reconsiderado.

Desiludidos, percebemos que para conseguir publicar algo, teremos que esperar diversos casos para que haja uma série a ser relatada, ou nos dedicar por um período mais prolongado a trabalhos prospectivos ou retrospectivos.

Porém, uma revista discorda desse modelo e promete mais agilidade e diversidade de publicações. A Cureus (www.cureus.com) criada pelo Neurocirurgião americano John Adler, se propõe a publicar artigos de forma gratuita desde que cumpram requisitos mínimos.

A ideia do criador é propor, em ambiente virtual, as mesmas discussões que se tem em um centro cirúrgico, por exemplo. Ele relata que, muitas vezes, ao se deparar com casos difíceis, duvidosos ou raros, sanou suas dúvidas e desenvolveu estratégias cirúrgicas com base em discussões informais com colegas até mesmo dentro do centro cirúrgico, enquanto se preparava para operar outros casos.

Assim, a Cureus promete aceitar todo tipo de publicação que seja relevante e, para tornar o processo mais ágil, a revisão é feita por ao menos 5 profissionais da área, escolhidos pelo próprio autor, e um editor da revista. O editor verá o material primeiro e determinará se cumpre os requisitos básicos da revista. Se houver uma quantidade muito grande de erros gramaticais, imagens de baixa qualidade ou outros problemas, o artigo será recusado e somente revisto caso seja paga uma taxa de revisão preferencial (em torno de U$ 150-500, dependendo do tamanho do artigo e número de erros). Se o material passa pelo crivo do editor, será enviado aos revisores escolhidos pelo autor, que poderão fazer sugestões de melhoria. Dessa maneira, em poucos dias e sem custo algum, o artigo poderá ser publicado.

Vale lembrar que a revista é indexada no Pubmed e conta com uma comunidade de autores e leitores. É uma proposta que diverge do modelo tradicional de publicação científica, mas que dá chance de visibilidade a trabalhos que não seriam aceitos em outras revistas, mas podem ser relevantes.

Fiquem a vontade para sugerir temas e fazer outras sugestões!

Raphael Bertani – R3 HMMC
contato@rbertani.com